quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Há uns dias eu estava no site de relacionamentos de uma amiga...
Vamos começar de novo:
Há uns dias eu estava no Orkut de uma amiga [agora siim] olhando umas fotos da lua-de-mel dela e mostrando pra minha mãe e uma amiga da minha mãe.
Então a amiga da minha mãe se manifesta: "Toda menina deveria esperar pra se casar 'direitinha', porque depois que o cara consegue o que quer, vai casar pra quê? Nem tem graça mais"
Aí meus neurônios se manifestam: "Então quer dizer que não se casa por que ama a pessoa, por que gosta dos hábitos da pessoa, por que quer acordar junto, dormir junto, assistir a filmes juntos... não se casa por que quer tomar café da manhã com a pessoa amada e ver a cara de sono dela e rir baixinho. Não se casa por que querem compartilhar os momentos mais íntimos um com o outro, por que querem ser testemunha da vida um do outro. Se casa por que a graça do casamento é transar, é fazer sexo, é poder transar na sala, na cozinha, no sofá, no fogão, no banheiro, na área de serviço sem que ninguém incomode... casa-se por que a graça do casamento é deixar a cama suja sem ter ninguém pra reparar, ou por que podem sair de toalha do quarto, ir pro banheiro e dá mais uma por lá. Se for assim... sinto muito... não quero casar!

2 comentários:

Talita disse...

Convem lembrar ainda que, além de pautarem o casamento no sexo, a palavra ''direitinha'' conectao matrimonio à virgindade feminina, pensamento mais antiquado impossível.
Cada vez mais John Lennon faz sentido ao dizer que diversos males acontecem à luz do dia, mas precisamos nos esconder pra fazer sexo. Uma pena.

Bom post, gata! ;)

Gisa Leão disse...

Num sei, a ideia de casamento mesmo não me entra. Além da formalidade de precisar que alguém ou alguma coisa certifique o meu sentimento, considero relacionamento afetivo uma coisa demasiado complexa. Ainda mais com essa importância exagerada dada ao sexo. Tabu sem noção!
=/



xêro Querida!